quinta-feira, 25 de maio de 2017

Porque cada caso é um caso ...


Todos esperam de você uma atitude "boazinha", mas na vida a gente tem que ter maturidade suficiente para saber o momento certo de parar de ajudar, dizer não e permitir que o outro cresça pelas próprias capacidades. 

Isso não é egoísmo, isso é aprender a se respeitar e não assumir a obrigação de salvar quem quer que seja. 

Salve a si mesmo e já estará fazendo um enorme ato de caridade.
 

Porque cada caso é um caso ... 

BOM DIA

Fábio Figueiredo

sábado, 13 de maio de 2017

Nossa Senhora de Fátima, rogai por nós!


Santíssima Virgem Maria,

que nas regiões de Fátima vos dignastes revelar aos três pastorinhos

os tesouros de graças que podemos alcançar rezando o Santo Rosário,

ajudai-nos a apreciar sempre mais essa oração a fim de que,

meditando os mistérios da nossa redenção,

alcancemos as graças que com insistência vos pedimos.

Senhora de Fátima,

olhai para as famílias do nosso imenso Brasil e para as suas necessidades.

Vede os perigos que as cercam em todos os momentos, e sede a mãe sempre presente.

Sede a nossa intercessora junto ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo

e alcançai-nos a graça que hoje Vos pedimos.

 Paty Cichelli

quinta-feira, 4 de maio de 2017

Mɑs o importɑnte é seguir sempre, errɑndo ou ɑcertɑndo, perdendo ou gɑnhɑndo.


Podemos errɑr em nossos sentimentos e escolhɑs. 

Podemos nos cɑlɑr ou gritɑr diɑnte de umɑ ɑfrontɑ. 

Podemos cɑir diɑnte de nossɑs lutɑs ou vencer mesmo sem umɑ espɑdɑ nɑs mãos. 


Mɑs o importɑnte é seguir sempre, errɑndo ou ɑcertɑndo, perdendo ou gɑnhɑndo. 

Mɑs sempre ɑcreditɑndo que podemos ser sempre mɑis diɑnte dɑs imposições que ɑ vidɑ possɑ nos oferecer..."

Hilɑrio Josepe.

domingo, 30 de abril de 2017

Livre não sou, mas quero a liberdade.


Livre não sou, que nem a própria vida 

Me consente. 


Mas a minha aguerrida 


Teimosia 


É quebrar dia a dia 


Um grilhão da corrente.


Livre não sou, mas quero a liberdade. 


Trago-a dentro de mim como um destino. 


E vão lá desdizer o sonho do menino 


Que se afogou e flutua 


Entre nenúfares de serenidade 


Depois de ter a lua!


Miguel Torga